Em nova temporada, o projeto Bike Art participa do Sem Barreiras, Festival de Acessibilidade e Artistas com Deficiência.

 

A bicicleta é hoje um importante meio de transporte, que protege o meio ambiente e economiza o tempo das pessoas. Mas o projeto Bike Art, da ONG Nosso Olhar, leva oportunidades e transformação para quem tem alguma deficiência intelectual.

Em nova temporada, o Bike Art participa do Sem Barreiras, o Festival de Acessibilidade e Artistas com Deficiência, considerado o maior evento do setor no País e que promove o protagonismo e empoderamento da pessoa com deficiência. A ONG Nosso Olhar vai exibir uma reportagem falando sobre a Bike Art, que une crianças e adolescentes a artistas, para promover a inclusão por meio da arte.

O Sem barreiras é um projeto da Prefeitura de São Paulo, realizado por meio da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência. O objetivo é divulgar o trabalho realizado pelos artistas com deficiência, trazendo reconhecimento e visibilidade para casa um, seja no teatro, na música, na dança, ou qualquer outra manifestação cultural. Por isso, a Bike Art não poderia ficar de fora do Sem Barreiras.

A Bike Art nasceu em 2019, com duas missões: promover a bicicleta como um instrumento de transformação social que estimula a expressão artística e a inclusão no mercado de trabalho. Na prática, o projeto tanto incentiva a arte quanto gera renda para pessoas com deficiência. Em razão da pandemia, o projeto foi adiado e volta agora com novos participantes.

A “nova temporada” do projeto reúne artistas como Dinas Miguel, Mauricio dos Santos, conhecido como Gigante, e Rogério Carnaval, mas tem o mesmo propósito de promover a inclusão. Houve, no fim de novembro, duas oficinas de pintura que promoveram a diversidade e parcerias que deram muitos frutos, como a capacitação dos jovens.

No dia 25 de novembro o Espaço Rede T21, uma casa colaborativa que apoia crianças, jovens e adultos com deficiência intelectual e suas famílias, recebeu o artista Dinas Miguel, que, junto com jovens do Instituto Meta Social, criou telas que serão expostas em galeria e depois leiloadas.

Já no dia 28 de novembro, o projeto Bike Art foi à sede da ONG Gerando Falcões, na cidade de Poá, na grande São Paulo. Em meio ao verde dos jardins da casa, artistas pintaram junto com crianças e adolescentes com e sem deficiência, que moram em comunidades da região.

Gigante, no alto dos seus dois metros de altura, usou a arte gráfica do aerógrafo para pintar com duas pessoas com deficiência, moradores da favela Kemel. Uma delas é Giovani de Souza, de 19 anos. O rapaz que tem deficiência mental leve e autismo impressionou o artista. Segundo Gigante, Giovani tem traço firme e facilidade na mistura de cores. Olívia Nascimento, de 10 anos, com déficit cognitivo, também dividiu a pintura de uma tela com Gigante. A experiência foi inesquecível, disse a garota.

O outro artista, Carnaval, trouxe o stencil, uma técnica do grafite, para apresentar a Heloísa Porpeta, de 10 anos. A garota que não tem deficiência, nunca havia visto uma obra antes. Tímida, ela ouviu as explicações do artista com atenção. Ao usar o spray na tela, surpreendeu. Deu novas formas à pintura, numa conexão de energias.

Como começou – Podemos dizer que a Bike Art, da ONG Nosso Olhar, é um movimento artístico. A Nosso Olhar convida artistas plásticos a pintar telas junto com crianças e adolescentes que têm deficiência intelectual. As obras vão a leilão. O dinheiro arrecado é dividido entre o artista, a pessoa com deficiência e a ONG Nosso Olhar.

Trata-se de um movimento de inclusão: quatro bicicletas da ONG Nosso Olhar, customizadas e decoradas por artistas plásticos são levadas a pontos comerciais, como shopping centers. No local, a bicicleta é usada para expor produtos doados por empresas. Os produtos são vendidos por adolescentes com deficiência intelectual contratados pela ONG. O dinheiro arrecadado com a venda é revertido para a financiar as ações da Nosso Olhar. Os recursos também são partilhados entre o artista e pessoa com deficiência.

A Ong Gerando Falcões é uma organização social que atua dentro de estratégia de rede, em periferias e favelas. Os projetos são focados em esporte e cultura para crianças e adolescentes e qualificação profissional para jovens e adultos. Portanto, é um motor de renda para famílias mais pobres que vivem em todo o país.

O projeto prioriza inclusão, a palavra que move a ONG Nosso Olhar.

Serviço:

Festival Sem Barreiras

De 7 a 13 de dezembro

Transmissão online pela SMPED por Facebook e Youtube  Facebook, com audiodesccrição, legendas e libras.